01/05/2011

4

A FLOR DA PELE

A flor da pele. Foi assim que acordei dia desses, sentindo tudo com muita intensidade. Mesmo acordando cedo para trabalhar por causa da chuva, quando olhei o céu carregado de nuvens ainda deitada eu ri, eu ri para o dia que estava começando, coisa rara de acontecer por que praticamente todo dia eu penso “queria ficar em casa hoje porque...”. Os 3 pontinhos são as desculpas diárias que eu arranjo para cada dia enquanto enrolo para continuar na cama.
Voltando, nesse dia eu senti tudo com muita força, intensidade, ou qualquer outra palavra que dê a entonação merecida. Antes de sair para trabalhar vi uma tragédia na TV e fiquei muito triste, não aquela tristeza normal e passageira quando o assunto não está ligado a você, foi parecido com “porra o mundo é uma merda, o Brasil é uma merda, as pessoas são uma merda”, fiquei puta da vida. Quando eu saí de casa e abri a sombrinha para me proteger olhei para uma poça de água que havia se formado e ri, ri dos pingos caindo desesperadamente, ri da zoada que faziam em cima da sombrinha, e ri de toda a poesia que existe numa chuva. Ela era linda, nesse momento notei que tinha algo estranho em mim, como eu sabia que não tinha nada haver com drogas a palavra que me veio na cabeça foi flor da pele. Eu estranhamente preferi sair de casa do que ficar em casa vendo filme e comendo o resto do chocolate da Páscoa, não que eu pudesse escolher, mas meu corpo todo fez esta escolha, geralmente as partes existentes nele desde o cabelo até o dedo entram em conflito, um mostra ao outro o seu ponto de vista e eles entram num consenso de que eu vou lucrar mais saindo de casa e indo trabalhar, nesse dia foi diferente, eles decidiram sem discutir antes.
Quando o ônibus virou a esquina e começou o percurso á beira mar, no exato momento em que ele virou meu coração bateu forte. Primeiro foi o mar, mais bonito do que nos outros dias, na verdade a mesma coisa de sempre, mas esse dia ele tinha um aliado. Depois foram 2 cachorros brincando, aí é para me matar, cachorro me comovem sempre, e depois eu só vi coisas bonitas, não vi nada feio, tapei meus olhos para o feio, ignorei por um tempo, reparei nos casais alegres, nos amigos caminhando conversando animadamente, nas crianças com baldes na praia...
No trabalho meu chefe que sempre me chama de florzinha, me chamou de florzinha, eu sempre achei um pouco brega, mas nesse dia foi lindo. Eu senti o significado de uma florzinha em todo meu corpo, me senti uma florzinha de beleza, de feminilidade, delicadeza, perfume, de atração, uma florzinha da cabeça aos pés.
Não sei se esse sentimento é tipicamente feminino, mas para mim foi femininíssimo (caso está palavra não exista ótimo, ela é minha agora), foi lindo, emocionante e nunca mais se repetiu, mas eu não fico triste, porque eu senti um dia, ou melhor uma parte do dia, e estou aqui falando dele e revivendo cada detalhe como se tivesse acabado de acontecer, foi verdadeiramente lindo e desejo isso para vocês.

4 comentários:

Val disse...

amiga quando tu escreve tu fecha né? queria escrever feito vc escreve...

Rawww disse...

Amiga, vc ta perto de menstruar?

Tatiana Leite disse...

to precisando de um dia desses

Déa disse...

Tatiana foi tão bom! Desejo a todo mundo. E não Manu eu não tava na TPM.

 
Blogger design by suckmylolly.com